MISA COM ORAÇÃO POR CURA E LIBERTAÇÃO CLAMANDO POR MILAGRES. 23 DE JULHO

ABRA - TE À RESTAURAÇÃO

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

Meditando o evangelho, Terça, 14 de Fevereiro 2017

Ano A - Cor: Branco - Terça Feira da 6ª. Semana do Tempo Comum



S. Cirilo, monge

S. Metódio, bispo

                                   Evangelho
Tomai cuidado com o fermento dos fariseus e com o fermento de Herodes.

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Marcos    8,14-21

Naquele tempo, 14 os discípulos tinham se esquecido de levar pães. Tinham consigo na barca apenas um pão. 15 Então Jesus os advertiu: "Prestai atenção e tomai cuidado com o fermento dos fariseus e com o fermento de Herodes". 16 Os discípulos diziam entre si: "É porque não temos pão". 17 Mas Jesus percebeu e perguntou-lhes: "Por que discutis sobre a falta de pão? Ainda não entendeis e nem compreendeis? Vós tendes o coração endurecido?18 Tendo olhos, vós não vedes, e tendo ouvidos, não ouvis? Não vos lembrais 19 de quando reparti cinco pães para cinco mil pessoas? Quantos cestos vós recolhestes cheios de pedaços?" Eles responderam: "Doze". 20 Jesus perguntou: "E quando reparti sete pães com quatro mil pessoas, quantos cestos vós recolhestes cheios de pedaços?" Eles responderam: "Sete". 21 Jesus disse: "E vós ainda não compreendeis?" 
Palavra da Salvação!
Glória a Vós, Senhor!
---------------------------------------------------------------
Comentário
Cuidado com a hipocrisia

Os discípulos se preocupam por não terem acumulado pão. Jesus chama a atenção deles para não ficarem presos a um sistema que visa a acumular coisas para ter segurança (fermento dos fariseus e de Herodes). É preciso confiar na partilha: tudo o que se reparte, torna-se até mais do que suficiente. Jesus procurava precaver seus discípulos contra certas posturas farisaicas, indignas de um discípulo do Reino. Algumas correntes do farisaísmo haviam tomado rumos que Jesus desaprovava. Eles eram vitimas do vedetismo, fazendo suas ações para terem o reconhecimento popular. Padeciam também da hipocrisia, pois seu exterior não correspondia ao seu interior. Por isso, eram falsos quando davam demonstração de piedade. Tinham um apego exagerado às Escrituras, que eram interpretadas a seu bel-prazer, mesmo falseando-lhes o sentido. Nutriam profundo desprezo por quem não era "perfeito" como eles, e acabavam formando um grupo hermético de pretensos puros e santos. Os discípulos de Jesus também corriam o risco de serem contaminados por este mau espírito, o fermento dos fariseus. Era preciso estar atento. Outra mentalidade contra a qual era preciso precaver-se foi designada como o fermento de Herodes. Esse rei era conhecido por sua megalomania, crueldade, impiedade, tirania e arrogância. Os fariseus e Herodes sustentam a doutrina da exclusão, que até lhes justifica matar todo aquele que ameaça a estabilidade de seu sistema de poder. Esta doutrina do poder, excludente e violenta, é tão forte que influencia até mesmo aqueles que se aproximam de Jesus, particularmente quando vêem nele um messias poderoso. Todas estas são atitudes indignas dos discípulos do Reino, embora estes possam ser tentados a se deixar arrastar por elas. A conduta do discípulo deve estar permeada pelo fermento de Jesus. É olhando para o Mestre que os discípulos saberão como ser fiéis à própria fé. Jesus é o único pão, com o fermento do Reino. É o pão da vida a ser partilhado entre todos.
--------------------------------------------------------------- 


Oração

Pai, reforça minha fé na tua providência paterna que se manifestou de tantos modos em minha vida, e livra-me de colocar minha esperança nas coisas deste mundo.
---------------------------------------------------------------
 Via (Deus Vivo)


0 comentários:

Postar um comentário