ENCONTRO DE CURA E LIBERTAÇÃO

17 DE DEZEMBRO

domingo, 27 de dezembro de 2015

Homilia da Epifania do Senhor (03.01.16)

“Vimos a Estrela”
 Chegaram Magos do Oriente
            
O Mistério Pascal de Cristo compreende toda sua vida e todos os acontecimentos. Deus se manifestou. Chamamos esse momento de Epifania, que significa Manifestação. Deus se manifestou na pessoa de seu Filho Eterno que tomou a carne humana no seio da Virgem Maria e Se fez Homem. O mistério de sua Manifestação é celebrado com diversos acontecimentos: Natal, Epifania, Batismo e Manifestação aos discípulos. Sua manifestação nos conduz à fé no Homem-Deus, Jesus.
Estes textos foram escritos depois da Ressurreição de Jesus e são iluminados por ela. A fé dos povos é uma conseqüência da Ressurreição. A Epifania mostra que o nascimento de Jesus é para todos os povos. São Mateus quer mostrar que Jesus é o Filho de Deus prometido pelas Escrituras. A estrela é um dos elementos: “Vimos sua estrela no Oriente” (Mt 2,2). Para os antigos, o Oriente é a região de Damasco. É misteriosa essa estrela. Cristo é chamado de “Estrela da manhã” (Ap 2,28). Há estudiosos que dizem que no tempo do nascimento de Jesus aconteceram muitos fenômenos. Um astrônomo, J. Kepler, afirma que no ano sete antes de Cristo, data provável de seu nascimento, houve um fenômeno que se repete a cada 794 anos. Há também o texto do livro de Números 24,17, que diz de um astro que se levanta nos acampamentos de Jacó. O profeta Miquéias diz que o nascimento do Messias seria em Belém (Mq 5nOS). Diante dos sinais, os estudiosos resumem as esperanças dos povos e buscam o Senhor. A alegria do acolhimento da fé é a alegria da Ressurreição. É a alegria que nos sustenta na caminhada da fé. A Epifania chama todos a reconhecerem o Messias.
Ouro, incenso e mirra
            A liturgia de hoje, na primeira leitura, apresenta a profecia da cena dos Magos vindos a Jerusalém. E, na segunda leitura, Paulo dá o sentido da visita dos Magos: a Redenção é aberta a todos os povos. “Os pagãos são admitidos à mesma herança, são associados à mesma promessa em Jesus Cristo, por meio do Evangelho” (Ef 3,6). Os Magos abriram seus presentes. Não se trata aqui de presentes para o enriquecimento do Messias, como se faziam aos reis, mas reconhecimento de sua Pessoa. Os novos magos que procuram a verdade encontram em Jesus no qual reconhecem o Senhorio, a Divindade e a Paixão. O grande presente que oferecemos a Deus é acolher seu plano de salvação em Jesus. Os novos magos, os de corações abertos para Deus procuram Jesus por todos os meios e encontram com Maria, isto, no ministério da Igreja. O progresso do mundo, não só pode encontrar Jesus, mas tem meios mais aptos ainda para ser alegrar por ver a Estrela.
Voltaram por outro caminho
            “Os Magos, avisados em sonho para voltarem a Herodes, retornaram para sua terra, seguindo por outro caminho” (Mt 2,12). Eram homens sábios, humildes, mas não ingênuos. Souberam não fazer o jogo dos poderosos que queriam dominar e se livrar de toda renovação de vida. Voltar por outro caminho testemunha o fruto da fé. Quem crê faz o caminho de Cristo, pois Ele é o Caminho (Jo 14,6). Nesse caminho se estabelece a Vida Nova a partir de uma Verdade nova. Seguindo o sentido da festa, somos convocados e levar aos outros as maravilhas que aprendemos de nosso encontro com Cristo. A próxima celebração é o Batismo de Jesus. É sua manifestação aos Judeus como Messias conduzido pelo Espírito. Cristo se manifestará aos primeiros discípulos como o vinho novo em Caná.
Leituras: Isaias 60,1-6;Salmo 71;Efésios 3,2-3ª.5-6; Mateus 2,1-12. 
Ficha nº 1506 – Homilia da Epifania do Senhor (03.01.16)
  1. O Mistério Pascal de Cristo envolve todos os acontecimentos de sua vida. Celebrando a Epifania, celebramos a Manifestação de Deus em Cristo que culmina com sua Ressurreição e glorificação. A estrela é Jesus. A alegria que tiveram ao ver a estrela sobre o lugar do nascimento lhes deu uma grande alegria, como na Ressurreição.
  1. A festa dos Reis Magos – Epifania – quer nos ensinar que a salvação veio para todos os povos, como escreve Paulo. Os presentes ouro, incenso e mirra são a lembrança que o reconhecemos como senhor, como Deus e como Servo sofredor. O presente que oferecemos agora é acolher o plano de salvação em Cristo. Apresentamos Cristo nos braços de Maria.
  1. Os Magos voltaram por outro caminho. Não fizeram o jogo do poderoso Herodes. Voltar por outro caminho testemunha o fruto da fé. O Caminho agora é Cristo. O mistério da Manifestação continua no Batismo e na revelação de Jesus aos discípulos como em Caná. 
              Velhinhos do barulho             
              Imaginemos a cena: uma caravana de camelos com um povo diferente, com uns homens diferentes que poderiam ser até mais velhos, pedindo o endereço de um rei que tinha acabado de nascer. Não havia GPS. Só tinham SPG (Só Perguntado à Gente). Foi um fogo que se espalhou rápido que chegou até Herodes.
              Os bons homens foram ter com o rei que os recebeu e conversou longamente sobre o assunto pedindo que voltassem. Foram até Belém, que era o lugar indicado para nascer o Messias. Ali adoraram o Menino. Deram presentes e voltaram a seus países por outro caminho para não voltar a Herodes.
              Eles eram gente de bom coração, fossem velhos, fossem mais novos, mas espertos e não fizeram o jogo do rei.
              Essa festa não quer somente contar uma história bonita. Como Paulo nos explica, é a manifestação do mistério de Deus que se destina a todos os povos, não somente aos judeus. Assim Jesus nasceu para os pobres pastores humildes, mas nasceu também para todos os povos, onde se encontrar um coração humilde. Esses homens lembram a maravilha da salvação da qual ninguém está excluído.

Refletindo a Palavra com o PE Luiz Carlos de Oliveira (Site)

0 comentários:

Postar um comentário