MISA COM ORAÇÃO POR CURA E LIBERTAÇÃO CLAMANDO POR MILAGRES. 23 DE JULHO

ABRA - TE À RESTAURAÇÃO

terça-feira, 2 de junho de 2015

Reflexão Dominical: O paraíso perdido e a ser construído - 10º Domingo do Tempo Comum: 07 de Junho 2015

O paraíso -

Paraíso é algo do passado, mas também utopia. É representado como o lugar ideal, dos sonhos, onde o clima é ameno, há abundância de alimentos e recursos e não há guerras, doenças ou morte. A vida no paraíso é tida como recompensa após a morte para os que seguem corretamente os preceitos divinos. É um lugar aprazível. Entretanto, este lugar existiu ou ainda existirá? A Bíblia fala dos dois. Vejamos.

Início. A Bíblia fala desse paraíso como o jardim do Éden.
Depois, o Senhor Deus plantou um jardim em Éden, a oriente, e pôs ali o homem que havia formado. E o Senhor Deus fez brotar do solo toda sorte de árvores de aspecto atraente e de fruto saboroso, e, no meio do jardim, a árvore da vida e a árvore do conhecimento do bem e do mal ” (Gn 2,8). Henoc, filho de Caim e o sétimo patriarca depois de Adão, por ser pessoa agradável a Deus, foi arrebatado ao paraíso. “Henoc agradou a Deus e foi arrebatado ao paraíso, para levar a conversão às nações” (Eclo 44,16). Assim, paraíso era lugar de bem-estar no início da humanidade. É também a representação do lugar de bem-estar prometido aos justos.

Utopia. O paraíso pode ser concebido, então, como lugar de utopia que será dado como prêmio aos vencedores. Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas. Ao vencedor darei como prêmio comer da árvore da vida, que está no paraíso de Deus” (Ap 2,7). Este paraíso Jesus prometeu ao bom ladrão: “Em verdade te digo: hoje estarás comigo no Paraíso” (Lc 23,43). Paulo fala que Cristo foi arrebatado a este lugar especial. “Foi arrebatado ao paraíso e lá ouviu palavras inefáveis, que homem nenhum é capaz de falar” (2Cor 12,4). Certamente impossível descrever com nossas limitadas palavras. Você sonha com este lugar?

Pode começar aqui. No início, a terra não era feita de sofrimentos, devastação, como hoje. Mas o ser humano a transformou. Sim, o Senhor ficou com pena de Sião, teve dó de tanta ruína. Transformará esse deserto num paraíso, fará deste ermo um jardim divino. Será aí o lugar da alegria e da festa, lugar de comemorar e cantar do futuro” (Is 51,3). Esse lugar pode ser reconstruído aqui na terra, como pálida imagem do que poderá existir na Jerusalém celeste. A transformação deste mundo depende, no entanto, de nosso crescimento interior. É preciso dizer como Paulo: “Por isso, não desanimamos. Mesmo se o nosso físico vai se arruinando, o nosso interior, pelo contrário, vai-se renovando dia a dia” (2Cor 4,16). Você sente que está crescendo a cada dia e se tornando uma pessoa melhor? É uma pergunta necessária para quem deseja ser melhor do que é. Com as pessoas que agem assim, este mundo irá se transformando.

Enganos. Infelizmente há muitas pessoas que contribuem para o mal-estar do mundo: enganam os outros como a serpente no paraíso, são cúmplices dos que tiram proveito do próximo, comem do fruto proibido da desonestidade, vivem serpenteando no meio das pessoas como aconteceu algum dia quando os primeiros seres humanos se desentenderam, instigados pela serpente do mal. “O homem respondeu: ‘A mulher que me deste por companheira, foi ela que me fez provar do fruto da árvore, e eu comi’. Então o Senhor Deus perguntou à mulher: ‘Por que fizeste isso?’ E a mulher respondeu: ‘A serpente enganou-me, e eu comi’” (Gn 3,12). Essa enganação continua acontecendo. Será? Verdade. Tanto em grandes coisas quanto de pequenas: pequenas mentiras, pequenos vícios… que não deixam de ser mentiras e vícios. Essas maldes só destroem o mundo e as relações entre as pessoas.

Parentesco. Os que vivem semeando a maldade podem até parecer bem sucedidos, exemplares, podem até cultivar parentescos sanguíneos. Mas, é esse parentesco que conta? Não. Pelo menos não contou para Jesus. Disseram-lhe: “Tua mãe e teus irmãos e irmãs estão lá fora e te procuram”. 33 Ele respondeu: “Quem é minha mãe? Quem são meus irmãos?” E passando o olhar sobre os que estavam sentados ao seu redor, disse: “Eis minha mãe e meus irmãos! Quem faz a vontade de Deus, esse é meu irmão, minha irmã e minha mãe” (Mc 3,32-35). Os que não enganam, mas amam seu próximo, são candidatos a uma vida feliz no reino.

Outro reino. Há um vínculo mais forte que o sangue que pode unir as pessoas. O vínculo divino. O parentesco físico é importante, mas acaba. Termina com a morte porque tudo o que é físico acaba. “Tudo?” indaga você. Em termos. É verdade que o corpo vai-se decaindo, mas é preciso que, o corpo espiritual esteja cada vez mais sadio e forte. “Estamos certos de que Aquele que ressuscitou o Senhor Jesus nos ressuscitará também com Jesus e, juntamente convosco, nos colocará ao lado dele” (2Cor 4,14). Esse corpo espiritual persiste. Se não continuar, a morte será o fim de tudo. Fim dos sonhos de felicidade, fim do sonho de que algo do paraíso possa acontecer ainda neste mundo. Ainda bem que acreditamos que não é assim. Há uma felicidade reservada aos bons de coração. No entanto, para alguns, este sonho de felicidade pode acabar. Por que razão? Porque se tornaram serpentes e serpentes não têm o mesmo destino dos bons. As pessoas ruins devem sentir dificuldade de acreditar que terão o reino dos céus prometido aos que fazem o bem.
Enfim, o paraíso foi perdido, mas ainda é sonho, utopia. Existe como lugar ideal onde tudo é incomparavelmente melhor do que o que conhecemos. Este reino glorificado pode começar ainda aqui e continuar de modo diferente de modo espiritual. Alguma coisa dele pode iniciar neste mundo, mas depende do que formos e do que fizermos para ele acontecer. Como sempre, o mundo e o nosso futuro depende também do crescimento espiritual de cada um de nós, depende do que plantamos. Se procurarmos cultivar este jardim do Éden onde vivemos, o mundo será melhor. Do contrário, a terra jamais será algo do novo paraíso, revelado por Jesus!
Eu diante desta realidade


Companheira
12O homem respondeu: “A mulher que me deste por companheira, foi ela que me fez provar do fruto da árvore, e eu comi” (Gn 3,12).

Induzo, por vezes, os outros a fazerem o que não devem?


Enganar
13 Então o Senhor Deus perguntou à mulher: “Por que fizeste isso?” E a mulher respondeu: “A serpente enganou-me, e eu comi” (Gn 3,13).


Sou para meus irmãos como a serpente, que enganou no paraíso?
Sou (Que pena! Viu o destino da serpente, não viu). Não sou ( Ótimo!)



Parentes
E passando o olhar sobre os que estavam sentados ao seu redor, disse: “Eis minha
mãe e meus irmãos!
35 Quem faz a vontade de Deus, esse é meu irmão, minha irmã e minha mãe” (Mc 3,34).

Tenho convivido com quem faz a vontade de Deus?


Crescimento
16 Por isso, não desanimamos. Mesmo se o nosso físico vai se arruinando, o nosso interior, pelo contrário, vai-se renovando dia a dia (2Cor 4,16)

Meu interior está mesmo se renovando no dia a dia?
Minha prece

Senhor, em ti coloco minha esperança
porque confio em tua palavra.
Espero por ti mais atento do que o vigia espera pela aurora!
Virás libertar-me de toda a culpa (Sl 129).
Acredito que o reino dos céus pertence aos justos.
Merecê-lo vai depender do modo de vida.
Espero, Senhor, viver dignamente
e um dia alcançar a glória
que prometeste aos que vivem o amor que ensinaste.

Assim seja.

0 comentários:

Postar um comentário