MISSA DO ABRA - TE À RESTAURAÇÃO

27 DE AGOSTO

quinta-feira, 16 de abril de 2015

Liame entre a morte e a vida: 3º Domingo da Páscoa: 19 de Abril 2015

Testemunhas e mandamentos -

Em nosso dia a dia há um duelo entre a morte e a vida. Ninguém quer morrer. Mas há também um liame cristão entre estas duas realidades, pois acreditamos que é passando pela morte que poderemos conhecer a vida eterna. Não foi isso que aconteceu com Jesus? Encarnou-se, viveu e para voltar ao Pai passou pela morte. Nele encontramos o caminho, a verdade e a vida.
Continuação - A vida continua após a morte.
Isso, contudo, não esconde o duelo que existe entre morte e vida. Ninguém quer morrer. É instintivo. Quem vence essa luta? No último combate vence a morte. Vence, mas a vida continua de modo diferente. É o que nos mostrou Paulo: “Matastes o Príncipe da vida, mas Deus o ressuscitou dentre os mortos: disso nós somos testemunhas” (At 3,15). Que forte a convicção de Paulo: “disso nós somos testemunhas!” Será que podemos dizer o mesmo para os que não crêem? Quando tudo parecia acabado, a grande novidade que Jesus anunciou começou a acontecer: a vida de ressuscitado. Ou seja, Deus deu vida ao que tinha morrido. Dará também a vida eterna aos que a merecerem. Veja bem: aos que merecerem. Acha que você poderá estar entre estes? Uma pergunta que vale a pena cada um se fazer. Se merecer, a vida será uma boa continuação. Se não… poderá haver triste surpresa.
Merecimento. Deus lançou mão da morte para nos mostrar o segredo para se viver eternamente. Quem não precisava morrer, morreu. “Era necessário que Cristo padecesse, mas que ressurgisse dos mortos ao terceiro dia” (Lc 24,46). Com isto Deus mostrou que a morte não é o fim, mas uma passagem. É um apagar-se da vela desta vida e acender-se da vida de ressuscitado. Para quem haverá esta boa nova? Para quem viveu e pregou “a penitência e a remissão dos pecados” (Lc 24,47). Aí está o caminho. Quem deste modo viver, conhecerá a morte, mas apenas como uma passagem para a vida. Quem vive segundo o Mestre pode sonhar com a vida eterna. Estará fazendo por merecê-la.
Mandamentos. Os preceitos do Senhor pavimentam o caminho para a ressurreição. Sabe quais são eles? Não se assuste se não lembrar de todos. Eles podem ser resumidos em dois: no amor a Deus e ao próximo. O amor é a síntese de tudo. Por isso Jesus disse que somente pelo amor, se sabe quem é filho de Deus. “Nisto se revela quem é filho de Deus e quem é filho do diabo: todo aquele que não pratica a justiça não é de Deus, como também não é de Deus quem não ama o seu irmão” (1Jo 3,10). Observou como Deus não está falando de um amor fantasia ou feito apenas de sonho? Está falando de um amor concreto. Quem diz que ama a Deus, conhece seu desejo e o vive. “Aquele que diz conhecê-lo e não guarda os seus mandamentos é mentiroso e a verdade não está nele” (1Jo 2,4). Quantos mentirosos existem nos próprios templos, hein! “Por isso que não vou a templo”, diz você. Nada disso. Não adianta tomar atitude de crítica aos outros. Isso não absolve você do seu comodismo. A omissão é também um mal. O amor é ação e só ele salva. Então, não fuja da raia. Vá ao templo orar ao Senhor e viva seus mandamentos.
A morte é um ponto final no jogo da vida. Um instante que assusta. A vivência dos preceitos do Senhor garantem bem-estar neste momento. Ele é o passaporte para a vida de ressuscitados que almejamos. Como não desanimar nessa busca? A eucaristia pode ser nossa força. “Eu sou o pão vivo que desceu do céu. Quem come deste pão viverá eternamente “ (Jo 5,51). Também pode nos garantir uma transição confiante na hora da morte. “Quem se alimenta com este pão viverá para sempre” (Jo 6,58). A morte não será, então, apenas um trágico fim. Será uma fugaz passagem. Será o começo de uma outra vida para os que viveram como o Mestre ensinou. Certamente os que derem testemunho do ressuscitado, não serão desiludidos.
Eu, diante desta realidade

Testemunhas da ressurreição
15 Matastes o Príncipe da vida, mas Deus o ressuscitou dentre os mortos: disso nós somos testemunhas (At 3,15).

Por minha vida dou testemunho da ressureição?

Remissão dos pecados
45 Abriu-lhes então o espírito, para que compreendessem as Escrituras, dizendo:
46 Assim é que está escrito, e assim era necessário que Cristo padecesse, mas que ressurgisse dos mortos ao terceiro dia.
47 E que em seu nome se pregasse a penitência e a remissão dos pecados a todas as nações, começando por Jerusalém (Lc 24,45-48).

Como tem sido meu empenho para a remissão dos pecados?

Mentiroso
4 Aquele que diz conhecê-lo e não guarda os seus mandamentos é mentiroso e a verdade não está nele (1Jo 2,4).

Vivo como mentiroso?
Minha prece

Ó Jesus ressuscitado,
Mostraste o caminho para a ressurreição.
Ele é feito de amor, de ajuda ao próximo, de participação ativa junto aos necessitados.
É mentiroso quem afirma que ama e não se solidariza com o próximo.
O amor em atos concretos, a penitência em relação às próprias iniquidades
São garantias de que se está trilhando o caminho que conduz à vida.
Do contrário, o caminho ilusório estará levando apenas à morte.
Senhor,
Quero ser testemunha da ressurreição, vivendo o mais possível o mandamento do amor.
É o que tenho a fazer, se almejo a ressurreição e a glória.
Vem em meu auxílio, Senhor.


Fonte: (Meritocat)

Para Curtir a nossa Página no Facebook Clique Aqui!

0 comentários:

Postar um comentário